Maquiagens

Você não tem que usar maquiagem

Vocês devem estar pensando “o que, como assim? blogueira de beleza falando sobre o não uso de maquiagem?” Sim. E para deixar claro mais uma vez, apesar da maquiagem estar relacionado a beleza, não quer dizer que são exatamente a mesma coisa. E nem que uma só exista por causa da outra. A beleza de uma mulher vai muito além do uso da maquiagem e depois de anos nessa pressão, tirei os últimos meses para pensar exatamente a influência e a importância da maquiagem na minha vida. Desde que comecei a estudar o estilo de vida minimalista, fui obrigada a analisar onde estava meus gastos mais altos e onde estava acumulando muitas coisas sem usar. As duas respostas foi: maquiagem. O que também levou ao uso excessivo – e na maior parte sem necessidade. Todas essas análises me empurraram diretamente para um caminho onde apareci no meu instagram do blog e logo recebi mensagens: uau, você está sem maquiagem? acha que é apropriado para o tipo de trabalho que está criando no caos feminino? CLARO QUE SIM!

Comecei a usar maquiagem muito nova. Parte porque tenho duas irmãs mais velhas e morávamos todas com minha mãe, ou seja, eram três mulheres que eu via maquiando-se antes de sair, então, toda menina tem essa fase de “copiar” os exemplos da sua casa. Conforme fui crescendo, as minhas sardas e minha falta de auto estima começou a ser um problema. A minha mãe não deixava usar maquiagem “pesada” para escola, somente alguns itens, então, eu caprichava nos olhos – fazia delineado com lápis, na época ainda não era tão popular o delineador e muito gloss nos lábios. No ensino médio, o reboco era certo. Quase ninguém usava base, na verdade, não era “moda” usar base e sim pó compacto, mas eu já usava uma base caríssima que gastei todas as minhas economias nela, da payot, assim como blush e o pó da mesma marca. Eu não me sentia confortável sem maquiagem. E quando aparecia sem, meus amigos até perguntavam se estava tudo bem comigo. E como estudava audiovisual, era comum estar sempre em frente a câmera e uma vez meu professor me perguntou se eu não devia analisar o que era estar bonita com maquiagem.

Na época, eu não tive maturidade para pensar nisso. Ele era meu orientador e estava sempre me fazendo pensar melhor sobre minhas atitudes e pensamentos, mas, eu não encarei a sua pergunta como uma orientação e sim como uma crítica, afinal, tinha mexido diretamente com a minha ferida, que era estar sempre bonita. Passado os anos, continuei no meu interesse por maquiagem, comprando, gastando e me enchendo de produtos que nem sempre precisava. Quando a Alicia Keys apareceu em uma premiação sem maquiagem e foi duramente criticada, fui a primeira a defendê-la na minha roda de amigas e me senti tão culpada por ser hipócrita. Eu não conseguia me aceitar sem maquiagem, por que estava sendo tão liberal com outra pessoa? Não errei em defendê-la, mas estava errando comigo mesma e entrei em semanas de desintoxicação, que bateu exatamente com a época que passei a estudar o estilo de vida minimalista. Deixei de amar maquiagem? Não. Parei de usá-la? Não. Mas ela deixou de me dominar, de ser o foco do meu dia e de principalmente, ser a minha principal característica.

Não estou dizendo que todo mundo deve abolir o uso da maquiagem, só estou dizendo que devemos parar de achar que usar salto alto e maquiagem nos faz mulher ou feminina. Que passamos a maior parte das nossas vidas nos arrumando achando que precisamos estar melhor que realmente somos, sem encontrar e valorizar o que temos de tão perfeito em nós mesmos. As minhas sardas SEMPRE foram odiadas e agora, tenho usado o mínimo possível para mostrá-la ao mundo e não é porque está na moda. Nós entramos na ditadura da beleza, porque não queremos ser aquelas criticadas ou massacradas por estar fora do padrão imposto não sei por quem. Não tem nada demais usar maquiagem se você tem controle sobre a influência que ela causa na sua vida. Você deve ser livre para usar o que lhe deve e se permitir ser livre com aquilo que acredita que não deve, faz parte de ter controle da sua vida independente do que os outros podem achar. Não vale a pena se machucar para se enquadrar em um padrão que a sociedade impõe. Você não é e nunca será menos bonita ou menos mulher por não usar maquiagem.

Me considero uma pessoa vaidosa, sou consumidora, mas estou deixando de ser consumista. E ainda terá muitas resenhas no blog sobre maquiagem e entendo que a aceitação de pessoas não adeptas ao assunto seja mínima, porém, eu não podia deixar de trazer ao blog a conscientização do quanto somos escravos do padrão, porque acreditamos que precisamos ter aquilo que irá nos dar um lugarzinho na sociedade. Deixa te contar um segredinho: ninguém pode te excluir dela, mesmo que você ande na contramão daquilo que dizem ser certo para você. A mídia faz essa pressão, famosas são sempre atacadas ou tratadas com certo “oh nossa, fulana foi vista sem maquiagem” como se um ser humano normal vivesse maquiado 24 horas por dia – você também é livre para fazer essa escolha, só cuida bem da sua pele, tá? – e não tirasse nem na hora do banho! Liberte-se e veja que por baixo de toda essa camada de base tem uma mulher linda que pode muito bem dar umas voltinhas de cara limpa.

You Might Also Like