Séries

O adeus a The Vampire Diaries

Dar adeus a uma série é muito difícil, ainda mais uma série que passou os últimos anos assistindo, amando e se dedicando. Confesso que o anúncio que The Vampire Diaries não foi uma surpresa porque eu já estava desejando o fim da série antes que todo aquele glamour e paixão se tornasse uma série de episódios sem sentido e com falta de emoção. É nessas últimas temporadas sem a Nina senti que por mais que a personagem da Elena fosse amada e ao mesmo tempo bem chata, senti sua falta a cada episódio e já não tinha esperanças que a série ficasse remotamente parecida com os livros, que tanto amo e a razão de ter começado a série em primeiro lugar.

Nas últimas semanas, minha expectativa estava a toda, principalmente depois que foi anunciado que a Nina voltaria para o último episódio e me deixou com a sensação de que meu amado Damon finalmente teria um encerramento descente (senti que poderia ter mais paixão, mas seria exigir muito dos dois) já que apesar do Srefan ter “terminado” com a Caroline, que nem de longe é meu shipper favorito, me contento com o fato que poderia ter um final pior. Vampire Diaries ganhou meu coração por ser diferente de Twilight, mas não acredito que seja melhor como muitos fãs se vangloriam por aí, eu li todos os livros de uma vez e pensei “ah, a série está começando, vou dar uma chance” e desde o primeiro episódio com a Ele a naquela neblina tosca no cemitério, minha vida girou ao redor de ter as emoções incríveis das primeiras temporadas e depois meio que me decepcionar, mas sem perder o ânimo com as restantes.

Então, ontem à noite, consegui assistir o episódio e posso dizer que foi um final digno (?) para tudo que os fãs passaram nas últimas temporadas, foi muito difícil não chorar da metade em diante, mesmo com a peruca horrível que a Nina usou (ou sei lá o que fez no cabelo) para voltar a ser Elena e meu coração se encheu de amor por ter feito parte dessa jornada. Fui uma fã que se manteve longe de todo tipo de fandom, porque depois se um tempo se tornou estressante demais ficar no meio daquelas tretas, porém, guardo com muito carinho todos os episódios que fiquei sem fôlego, os muitos que dormir ainda hipnotizada com a beleza dos irmãos Salvatore e as discussões que tive comigo mesma por causa do comportamento estranho da Elena (ela era meio surrealzinha, né). E também do quanto amava louca, impulsiva e diabólica (mais linda do mundo) Katherine.

Aquela música “não aprendi dizer adeus, mas tenho que aceitar”… Nunca fez tanto sentido como agora. Realmente não acredito que a série poderia ter mais episódios, como disse acima, era melhor terminar do que perder ainda mais tudo que foi conquistado. Chorei muito, foi bem difícil dormir depois que acabou e mal vejo a hora de reassistir toda a oitava temporada, houve momentos muitos marcantes, muitas cenas que preciso analisar com calma porque senti que a palavra épico passou longe e faltou emoção de parte de alguns personagens como perdas e também as movimentações, mas, houve cenas que foi impossível não ter melancolia. Sinceramente, não foi a melhor sensor finale da minha vida, mas estou satisfeita por simplesmente ter dado um ponto final na história. Era hora de dizer adeus.

You Might Also Like