Séries

Grey’s Anatomy – Mead Season

Se você não curte spoiler, melhor parar por aqui mesmo, porque essa review é um mega comentário sobre os nove episódios exibidos de Greys Anatomy até a Mead Season. Para quem não sabe, estamos em uma pausa extremamente SOFRIDA até o ano que vem, mas até agora, há muito que comentar, principalmente nas breves resoluções  da decima segunda temporada para décima terceira, minhas muitas reclamações em relação a direção e roteiro dos episódios, assim como NO QUE DIABOS A SHONDA TÁ PENSANDO. Decifrar o que essa mulher tem em mente sempre foi empolgante, porém, até agora na 13º temporada, tem sido uma tarefa cansativa e bem desanimadora. E aviso novamente… Não gosta de spoiler? Não leia.

Para começar, o episódio terminou com a emoção do Ben trazendo ao mundo a filha de April e Jackson, mas a minha emoção foi momentaneamente eclipsada com a última cena, no qual Maggie (irmã da Meredith) diz estar afim do Riggs, dando a entender que mais uma vez Meredith estaria no meio de um triangulo amoroso, dessa vez, com sua meia-irmã. Sinceramente? Mal esperava que o primeiro episódio começasse com a continuação do casamento, o nascimento do baby Kepner-Avery e a consequência do Alex ao agredir DeLucca. Vamos por partes:

14524438_908661249278996_3976927320740692537_oAmélia e Owen finalmente casam e Meredith já começa o episódio chegando a conclusão que “não adianta mudar o passado porque o futuro continua chegando”. Ela está pensativa e distante por conta da revelação da sua meia-irmã e ainda sem saber o que fazer com o Riggs, mas tudo isso fica meio de lado ao refletirmos sobre sua conturbada relação com Amélia e o fato dela estar casando com Owen, o ex-marido (e amor) da sua melhor amiga inexistente na atualidade, Cristina Yang.

Atirem-me pedras, mas eu não gosto da Jo, então, todo seu drama poderia ter sido cuidadosamente evitado. Além de achar que ela é uma personagem muito desperdiçada, que parece mais um “tapa” buraco que nunca desenvolvem melhor seus “problemas”. Primeiro, era ela aquela que Meredith expulsava da cama, segundo aquela que se tornou o par do Alex sem que eles tivessem alguma química – muito diferente da Izzie e da Rebecca. Até aquela outra médica que foi embora. Então, todo drama que cercou Alex (pela impulsividade maldita dele – não defendo nenhum tipo de agressão) vem parte da omissão dela.

Finalmente podemos ver Kepner 2.0 em ação. Eu realmente estava esperando que ela saísse da sua concha – convenhamos que mal dá para lembrar que ela era aquela garota que era assistente do Derek algumas muitas temporadas atrás. Ela cresceu, evoluiu e finalmente – obrigada, Deus – conseguiu espezinhar sua “sogra” e ter um momento de paz com Jackson. E tivemos uma virada de jogo na relação Bailey e Ben, eu não aguentava mais os problemas pequenos entre os dois que acabavam refletindo no hospital. Não achei a atitude do Ben totalmente errada, porém, achei justa a punição. Só não curti a forma como a Bailey lidou com isso como sua esposa. Águas passadas, seguiremos em frente. Certo, Shonda?

Nos episódios seguintes vemos um incrível desenrolar da amizade Alex e Meredith. Eu adoro que eles sejam ainda os mesmos da primeira temporada. Ela quase bateu nele com seus punhos fracos, mas também era aquela que o puxava para turma, afinal, ele era a ovelha negra e a semente do mal, porém, completava a perfeição que MAGIC era. Com os anos, com as mortes e saídas, eles sobraram e sobreviveram juntos, dando apoio e suporte. Nesse momento, surgiram diversas especulações de que Alex seria o novo par romântico da Meredith – a Shonda até brincou com a possibilidade e disse que Ellen e Justin não gostariam, porque eles são como irmãos. E para falar a verdade, shippo MerLex extamente como são agora: amigos. Alex será a pessoa que cuidará da Meredith, mesmo que ela tenha um novo marido e ele uma esposa. Ele é a “nova” pessoa que no fundo, sempre foi. De todas as idas e vindas, brigas com os demais, ela e o Alex sempre ficaram juntos e eu adoro isso. Não quero que um romance estrague. Além do mais, por mais que eu não goste da Jo, Alex precisa resolver seu relacionamento com ela.

Como Riggs deu um chega pra lá que não foi exatamente o suficiente para afastar Maggie, entre ele e 14572838_915978338547287_6156588509532641606_nMeredith ainda ficou com um hiato, conversando, fugindo do outro e não exatamente acabando com tudo enquanto isso, eu sofria com Alex recebendo as consequências dos seus atos. Eu o amo, sei dos seus defeitos, ele realmente merecia uma punição, mas isso não significa que não cause em mim um sofrimento e uma certa repulsa pela Jo. Não acho que ela seja a vítima (não do Alex e do seu relacionamento, mas sim do relacionamento com seu marido). E antes que me julguem, acho que a Jo pode ser como muitas mulheres que sofreram relacionamentos abusivos, mas, a forma em que as coisas estão sendo apresentadas torna um pouco difícil sentir compaixão – desculpa aí.

Foi chato lidar com o começo do casamento Omélia. Sinceramente, achei uma estupidez quando o noivado aconteceu na temporada passada, acho que parte de mim sabia que seria completamente irritante o fato que eles não se conhecem. Amélia é uma personagem incrível. Quem acompanhou sua história em PP sabe o motivo pelo qual ela é assim e como as coisas explodem ao seu redor sem aviso prévio. E nós conhecemos o Owen. Ambos merecem muito ser felizes e parte de mim achou que se não fosse irritante, seria a chance deles de finalmente serem felizes – mas não estava nos planos da Shonda e no último episódio dessa parte da temporada tivemos uma surpresa. Ela foi e nós não entendemos nada, eu entendo que foi difícil reviver a sua história, mas, o Owen não merecia passar por aquilo uma segunda vez.

Alguém mais torcendo para que a família Kepner-Avery torne-se oficial novamente? A relação deles três tem sido linda, mesmo com a Catherine ao redor, que infelizmente gastou seu tempo tentando fazer com que Karev fosse demitido. Não há nada nessa personagem que eu goste. Nem mesmo sua relação com o 15284159_945923658886088_3971183906055386622_nWebber. Na verdade, ela é altamente capaz de passar por cima dele para “atingir” seus objetivos como ninguém. Eu achava a Yang uma mulher determinada, mas a Catherine possui uma força e falta de senso de convivência impressionante.

Até agora, a temporada não tem sido muito boa na minha opinião. Sinto falta dos casos médicos alucinantes e das brigas pelos pacientes, além das guerrinhas de quem seria o melhor, naquela competição que o Burke e Derek viviam se metendo e saiam para beber no fim do dia. Essa equipe de residentes não tem a mesma animação e carisma que a primeira. Além do mais, eu discordo da forma que a Shonda está repetindo os atos passados nos personagens. Se foi difícil viver a primeira vez, a lembrança, os traumas e passar por essa fase viúva do Derek, sentindo falta da Yang, aguentando firme o drama do Alex e tentando ter paciência com os rompantes da Amélia, está sufocante demais e colocando a série nessa temporada bem abaixo de outras que foram incríveis. Eu espero que a próxima metade seja diferente e que todos esses casos se resolvam e não se arrastem em muitos episódios.

Ficou um textão, mas é isso aí. Obrigada a quem chegou até aqui.

You Might Also Like