Guarda-Roupa

Como garimpar no brechó

Uma das coisas que eu aprendi a amar nos últimos anos é comprar roupas em Brechó. Aqui em Cabo Frio tinha um que era maravilhoso e muitas das vezes precisava me conter para não sair do trabalho todos os dias e ir comprar pelo menos uma “brusinha” nova. Agora que estamos na época mais quente do ano é sempre quando sinto a necessidade de ter mais roupas, principalmente, vestidos, porque é onde saio mais de casa e apesar de ter uma poderosa máquina de lavar, é preciso ter mais que dois vestidos frescos para o verão inteiro. E brechós são sempre mais acessíveis financeiramente – se as roupas neles estão mais caras que na loja, caia fora porque é cilada, bino.

Garimpar no brechó, antes de tudo e qualquer coisa é ir com tempo e paciência para olhar todas as coisas. Correr normalmente significa prejuízo e deixar passar várias peças legais, então, reserve um bom horário para se perder lá dentro. Não leve com você alguém que não goste de esperar, não curta a atividade ou vá ficar reclamando na sua cabeça. Nem sempre brechós online valem a pena – não só por causa do frente. É importante avaliar a peça presencialmente, prestar atenção na costura, se o defeito é contornável ou se a costura é algo consertável e que vale a pena no preço proposto – se achar que não, tente negociar caso queira a peça.

Pegue tudo que achar que vai levar. A indecisão é uma maldita companhia, mas antes de perder a peça para outra pessoa e se arrepender, segure tudo que gostar, experimente e mantenha o que cabe em você. Não solte mesmo que saiba que não dá no orçamento – às vezes tem promoção, mas às vezes, você pode desistir de uma peça por um defeito que não vai poder consertar. É importante avaliar o potencial de cada peça, se o custo benefício vale a pena e se principalmente, entrará no seu uso. Não adianta levar para ser mais uma coisa guardada no armário, deixe em casa a síndrome de becky bloom e leve o bom senso.

A maior parte do meu guarda roupa é de brechó, eu tenho algumas vantagens, porque só uso cores minimalistas, listras e algumas peças vintages. Costumo olhar as roupas lisas primeiro, porque não gosto muito de estampas – a não ser que sejam geométricas. Ir ao brechó é conhecer seu estilo e montar um armário de fácil acesso. É importante ver se as roupas não estão gastas ou puídas, por mais baratas que sejam, leve em conta a qualidade. A maioria dos brechós não fazem troca, então, fique atenta as suas escolhas e SEJA FELIZ fazendo comprinhas.

You Might Also Like